INOVA-EEM inicia projeto-piloto para intensificação de boas práticas ambientais no concelho

A INOVA-EEM está a desenvolver um projecto-piloto orientado para a intensificação de Boas Práticas Ambientais na Gestão de Resíduos no Município de Cantanhede. A iniciativa decorre na sequência da aprovação duas candidaturas apresentadas pela empresa municipal ao programa Mais Centro, do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), tendo obtido nesse âmbito uma comparticipação dos fundos comunitários.

Trata-se de uma operação que compreende o investimento em equipamentos e dispositivos técnicos destinados a ampliar, melhorar e valorizar o sistema de recolha de RSU, promover a sua redução na origem e fomentar a separação de materiais tendo em vista a reciclagem. Noutra vertente, vão ser realizadas acções e actividades de sensibilização junto de diferentes públicos-alvo e especial incidência nas escolas, com campanhas direccionadas para alunos de diferentes níveis de ensino.

Do ponto de vista material, o projecto contempla a instalação de mais 80 ecopontos e 25 oleões de grande capacidade nas freguesias, em função da área territorial e da população, bem como a distribuição de 1.000 pequenos ecopontos, estes domésticos, tal como os 1.050 compostores e 2.000 recipientes de recolha de óleos alimentares usados.

As duas candidaturas aprovadas no âmbito do QREN têm um investimento elegível de 458.425,7 euros, tendo beneficiado de uma comparticipação de 60%, num total de 275.055,42 euros. Entretanto, a INOVA-EEM alimenta a expectativa de que este venha a ser aumentada para 80%, ao abrigo do acordo celebrado entre o Governo e a Associação Nacional de Municípios Portugueses relativamente à taxa de co-financiamento a aplicar nas intervenções no âmbito dos programas operacionais regionais.

O reforço da rede de ecopontos, com a criação de mais locais apropriados para deposição selectiva de resíduos, a colocação de mais oleões de grande capacidade e a distribuição de dispositivos domésticos, designadamente pequenos ecopontos, compostores e recipientes para óleos alimentares usados, representa na opinião dos responsáveis um importante reforço das condições que favorecem uma participação mais efectiva das populações locais nos processos de recolha selectiva, reciclagem e reutilização de materiais.

A INOVA – Empresa de Desenvolvimento Económico e Social de Cantanhede foi constituída por iniciativa da Câmara Municipal em 16 de Abril de 2002, na sequência de uma deliberação camarária aprovada pela Assembleia Municipal em 4 de Abril de 2002. Em 1 de Setembro desse mesmo ano assumiu, de forma efectiva, a exploração da rede de abastecimento de água, nomeadamente dos sistemas de captação e distribuição, bem como a gestão dos sectores do saneamento e da protecção ambiental. Neste âmbito, cabe-lhe realizar estudos técnicos e promover a ampliação das infra-estruturas de drenagem de águas residuais.

Nesta área a empresa municipal tem em curso ou em vias de serem iniciados investimentos que permitirão atingir até final de 2012 uma taxa de cobertura de saneamento superior a 90 %, antecipando assim em um ano os objectivos estabelecidos no PEAASAR II.

Por outro lado, tem a seu cargo o funcionamento do sistema de limpeza urbana e recolha dos resíduos sólidos urbanos do Concelho, promovendo a sua valorização através da recolha selectiva e reciclagem em ecocentros, bem como intervenções de beneficiação e valorização nos espaços verdes do Município.

O seu objecto social contempla ainda a gestão da rede de transportes regulares urbanos na Cidade de Cantanhede, a promoção de grandes eventos, como a Expofacic e o Festival Internacional Dixieland, tendo sido alargado em 30 de Abril de 2010, por deliberação da Assembleia Municipal, à gestão de zonas industrias e parques desportivos.

About the Author