Freguesia de Covões com cobertura total ao nível do saneamento

Com a inauguração da ETAR da Malhada

O funcionamento da ETAR da Malhada foi assinalado com a visita do executivo camarário de Cantanhede a esta infraestrutura de tratamento dos efluentes recolhidos pelo sistema de captação de águas residuais da zona norte da freguesia de Covões, que depois da ativação da ETAR do Seadouro, no ano passado, fica agora com cobertura integral do território ao nível do saneamento. O presidente da Câmara Municipal, João Moura, deslocou-se ao local acompanhado da vice-presidente da autarquia, Helena Teodósio, dos vereadores Pedro Cardoso, Pedro Castro e João Dias, do presidente do Conselho de Administração da INOVA-EEM, António Patrocínio Alves, bem como do presidente da Junta de Covões, Asdrúbal Torres, e da presidente da Assembleia de Freguesia, Filomena Miraldo.
 
Na ocasião, o líder do executivo camarário sublinhou «o extraordinário trabalho que a INOVA realizou no setor do saneamento nos últimos anos, ao conseguir aprovação para todas as candidaturas aos fundos comunitários, sem os quais não teria sido possível realizar os grandes investimentos efetuados neste domínio, os quais tornaram possível garantir agora a recolha e tratamento de esgotos em todo o Concelho». João Moura recordou que «a empresa municipal começou por elaborar o “Documento de Enquadramento Estratégico do Saneamento de Águas Residuais do Concelho de Cantanhede”, foi de resto a primeira entidade do país e entregar este estudo, o que naturalmente facilitou a aprovação das candidaturas nomeadamente as submetidas ao Programa Operacional de Valorização do Território (POVT), sem esquecer as que foram apoiadas pelo QREN – Mais Centro, neste caso na sequência da negociação da Câmara Municipal na Comunidade Intermunicipal do Baixo Mondego».
 
Segundo o autarca «nos últimos anos foram realizados investimentos da ordem dos 13,4 milhões de euros, o que permitiu passar de uma taxa de cobertura do território que em 2009 era de apenas 54% para os atuais 95%. E não podemos esquecer que o Concelho de Cantanhede é o maior do distrito de Coimbra, com 400 Km2 e núcleos urbanos dispersos, circunstância que que não pode deixar de ser tido em conta na análise deste processo que agora se conclui». O presidente da Câmara destacou mais uma vez «a dinâmica evidenciada pela INOVA, que tem vindo a trabalhar em mais uma série de projetos para renovação e substituição dos sistemas de saneamento e de abastecimento de água mais antigos em algumas zonas do concelho, obras que serão também submetidas a candidaturas ao próximo quadro comunitário de apoio».
 
Por seu lado, o presidente do conselho de administração da INOVA-EEM começou por agradecer «espírito de cooperação dos responsáveis do POVT relativamente às candidaturas apresentadas pela empresa municipal. O concelho de Cantanhede deve muito a POVT, estabelece-se uma parceria muito frutuosa e que tem tido efeitos muito positivos na execução das obras, como de resto podemos verificar aqui. Para se ter uma ideia do alcance dos investimentos realizados basta dizer que em 2003 a taxa de cobertura do concelho de Cantanhede em termos de saneamento era de 30%, enquanto a nível nacional estava nos 60%, e agora temos uma taxa de cobertura de 95% do Município e no país essa taxa é de 81%».
 
Relativamente à ETAR da Malhada, António Patrocínio Alves explicou que «a obra representa um investimento de cerca de 1,4 milhões de euros, dos quais mais de 900 mil (67,2%) traduzem a comparticipação do POVT. Além da ETAR, são cerca de 17 Kms de coletores, duas estações elevatórias e 400 ramais domiciliários para servir uma população de mais de 800 habitantes, o que corresponde a 2,2% de cobertura do território do concelho, e representa a conclusão do sistema de saneamento da freguesia de Covões». Conforme referiu aquele responsável, «a ETAR da Malhada dispõe de tratamento primário, secundário e terciário, o que permite a reutilização de parte do efluente tratado para o funcionamento da própria ETAR e para rega de espaços verdes».
 
Para o presidente da Junta de Covões, «a inauguração desta infraestrutura é uma obra grande e é também uma grande obra: é uma obra grande pelo grande investimento que foi preciso realizar; é uma grande de obra pelos benefícios que traz para quem vive nesta freguesia». Declarando-se «muito orgulhoso por ver o sistema de saneamento a funcionar em toda a freguesia de Covões, cujo território é bastante grande, com mais de 30 Km2», Asdrúbal Torres enalteceu «a Câmara Municipal e a INOVA pelo esforço financeiro realizado para executar esta infraestrutura que, depois do abastecimento de água a funcionar também em pleno, representa um avanço muito significativo no que diz respeito aos padrões de qualidade de vida da população».

About the Author