Assembleia geral aprovou, em reunião de 22 de março de 2017, Relatório e Contas da INOVA-EM respeitante ao exercício económico de 2016

 

A Assembleia Geral da INOVA-EM, reunida no dia 22 de março de 2017, deliberou aprovar o relatório e contas referente ao exercício económico de 2016 e a respetiva proposta de aplicação dos resultados, que implica a transferência de cerca de 167 Mil €uros de resultados líquidos  e 8 Mil €uros de resultados transitados para reforço dos capitais próprios, com vista à sua aplicação em investimentos de renovação e reabilitação das infraestruturas existentes.
  
No que diz respeito aos aspetos económico-financeiros, registou-se em 2016, um decréscimo dos rendimentos (sem desvio tarifário), em 151 Mil €uros (-1,6%), passando a 9,05 Milhões de €uros e a um acréscimo dos gastos em 253 Mil €uros (+3,1%), passando a 8,31 Milhões de €uros. O desvio tarifário acumulado (2014-2016), traduz-se num superavit de 893 Mil €uros, que será devolvido às tarifas a estipular no futuro. 

O cash-flow operacional corrigido da imputação de subsídios ao investimento e do desvio tarifário (EBITDA - imputações para subsídios ao investimento + desvio tarifário) foi de 1,57 Milhões de €uros, uma diminuição de 25,9% face ao ano anterior e a margem do EBITDA de 19,4%.
 
No final de 2016, o ativo não corrente líquido (excluindo impostos deferidos) era de 31,31 Milhões de €uros e a divida líquida remunerada diminui 18,1% para 2,25 Milhões de €uros, o que representa 1,4 vezes o EBITDA (corrigido da imputação de subsídios ao investimento e do desvio tarifário). A liquidez geral situou-se nos 0,8, a autonomia financeira em 72,4% e o prazo médio de pagamentos foi de 35 dias.

Perspetivamos para o exercício de 2017 e paras as diferentes atividades que são geridas pela empresa, um conjunto de ações, em que iremos depositar mais energia: 

  • Mais renovação e reabilitação das redes de água e saneamento de forma a garantir um bom desempenho e a minimizar riscos potenciais de interrupção dos serviços; 
  • Aposta na tecnologia, como veículo para aumentar a eficácia e eficiência dos processos produtivos e beneficiar a relação com o cliente/cidadão (Smart Water Systems, Smart Waste System e APP INOVA.MAISPROXIMA);
  • Revisão do regulamento do serviço de gestão de resíduos urbanos e respetivo tarifário, no sentido de introduzir um sistema de tarifação PAYT;
  • Reforço do investimento na sensibilização do cidadão para a sua adesão, cada vez mais eficaz, à prevenção de resíduos e à adequada deposição seletiva;
  • Introdução de mais aspetos inovadores na Expofacic e encetar esforços na internacionalização do evento, tendo como objetivo principal a divulgação do Município de Cantanhede e consequentemente, a dinamização da economia local;

 

About the Author

Documento
Relatório e Contas 2016 2.43 MB